Yara Maria de Carvalho

Yara Maria de Carvalho possui licenciatura e bacharelado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (1989/1990), especialização em Saúde Pública pela Universidade Estadual de Campinas (1990), mestrado em Ciências do Esporte pela Universidade Estadual de Campinas (1993), doutorado em Saúde Coletiva na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (1999) e livre-docência em Promoção da Saúde pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; pós-doutorado em Ciências Humanas e Saúde pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2003), em Antropologia da Comunicação Visual pela Università La Sapienza di Roma, Itália (2004) e em Filosofia pela Universidad de Córdoba, Argentina (2010).

Atualmente é Professora Associada da Universidade de São Paulo(USP). Orienta mestrado e doutorado em programa de Pós-Graduação, na área de concentração Pedagogia do Movimento Humano. Coordena o grupo de pesquisa CORPUS – Educação Física + Saúde Coletiva + Filosofia.

É coordenadora adjunta do Pró-Ensino da Saúde e do Programa de Educação pelo Trabalho em Saúde (Pró-PET-Saúde ) – USP Capital, política pública de saúde/Ministério da Saúde. Desenvolve projetos de pesquisa e intervenção em Unidades Básicas de Saúde, especialmente com os Centros de Saúdes Escola Samuel Barnsley Pessoa-Butantã e Geraldo Paula Souza/FSP; com grupos de investigação de outras unidades e departamentos da USP; e também com pesquisadores de outras universidades públicas brasileiras (UFRGS, UFES).

No exterior, é Professora Visitante do Instituto Politécnico de Coimbra/Portugal; desenvolve pesquisa com o Prof.Dr. Martin Bauer/London School of Economics/UK; e é responsável pelo Convênio de Cooperação Internacional com a Universidad Nacional de Río Cuarto/Argentina.

É bolsista do Ministério da Saúde (2010-2012/2012-2014). As práticas corporais na atenção primária à saúde; o corpo e as práticas corporais na contemporaneidade; a educação física e o campo da saúde coletiva; o cuidado com o corpo; a promoção da saúde; e, as políticas de formação e educação em saúde são os temas de investigação que têm sido priorizados tendo como referência teórico-conceitual e metodológica a filosofia e as ciências humanas e sociais.