Dia do Jogo Limpo…Doping e Hipocrisia

Em 14 de maio de 2012 a nossa presidenta, Dilma Rousseff fez publicar no Diário Oficial da União, em conjunto com o Ministro de Estado do Esporte, Aldo Rebelo, a Lei nº 12.638, instituindo o dia 15 de Janeiro como o Dia Nacional do Jogo Limpo e de combate ao doping nos Esporte.

Pois bem… Primeiro, sinceramente, gostaria que essa lei tivesse uma maior abrangência… Vocês imaginam o impacto de uma lei instituindo o Dia do Jogo Limpo… Na política brasileira?!

Enfim, sabemos que o ótimo é inimigo do bom… Idealizar a realidade não ajuda em nada em sua transformação…

Então… Lendo as matérias jornalísticas e ouvindo os comentários sobre este assunto nos programas de TV ou nas rodas de amigos — típicas daquelas que acontecem após os 60 minutos de “pelada” justificadores dos 120 de boa cerveja —, não pude deixar de ficar revoltado… Com a hipocrisia reinante em nossa sociedade!

Hipocrisia sim! Pois não somos nós que exigimos a vitória a qualquer custo, atribuindo ironicamente a frase o importante é competir aos perdedores?

A coisa funciona mais ou menos assim: Você é atleta e sabe que fama, sucesso e dinheiro vêm com resultados esportivos! Mas não com qualquer resultado, mas sim somente com a vitória. E você faz tudo o que está ao seu alcance para obtê-la. Submete seu corpo a um árduo treinamento físico, horas e horas a fio, abrindo mão, em plena juventude, de descobrir as loucuras da paixão, do amor, da vida… Sua cabeça não pode estar naquela menina/mulher ou menino/homem que faz seu coração como que pular pela boca, e sim na competição que se avizinha. Focado, dizem… Você tem que estar focado!

Com os treinos vêm os resultados e deles, seu salário. Salário sim, pois você tem com o Esporte uma relação de trabalho. É… Você é um trabalhador da bola, das pistas, das barras assimétricas e coisas e tais…
Mas eis que os resultados começam a ficar cada vez mais difíceis de serem obtidos e por mais que aumente a carga de treinamento, seu corpo já não responde a ele como antes… Mas você aprendeu que seu patrocinador só lhe patrocina porque você vende com suas vitórias o que ele deseja vender…

Seu salário está intimamente vinculado a elas… As entrevistas e presença em manchetes de jornal estão diretamente ligadas ao seu sucesso…

Então você diz: Tudo isso precisa continuar a existir, custe o que custar… Pronto! Está feito! Daí para o doping é um pulinho…

Muitos sabem, mas fingem não ver o que está acontecendo com você. Afinal, você continua vencendo e dando o retorno que eles desejam… Aos produtores do produto que anuncia, aos dirigentes e torcedores do clube onde se encontra vinculado, ao país que une ufanisticamente sua bandeira às suas vitórias…

Bem… Aí, um exame surpresa acusa aquilo que todos teimavam em não querer ver e… O mundo lhe cai sobre a cabeça! As mesmas pessoas que o glorificavam, agora lhe apontam o dedo acusando-o do crime mais vil: O uso do doping? Não! Ter se deixado pegar em flagrante, dando visibilidade a uma realidade que desejam mascarar, isso sim…

Qual realidade? A única, insofismável: O doping não é manifestação patológica do esporte de alto rendimento e sim parte constitutiva de sua lógica.

É isso. Simplesmente isso… O Esporte é uma prática social, portanto produto do trabalho humano, que traz em sua materialização as intencionalidades definidoras de nossas ações, as quais se dão em um determinado contexto e momento histórico. Neste ordenamento societário pautado pela exploração do Homem pelo Homem, somente a hipocrisia explica o ar de espanto e surpresa de muitos desavergonhados.

Um comentário sobre “Dia do Jogo Limpo…Doping e Hipocrisia

  1. Boa noite professor!
    Qual o período que um atleta de alto rendimento de cada modalidade terá a durabilidade de está na pota ou no topo e que não necessite da droga para continuar no ápice enganoso?
    Sei que cada atleta tem seu biotipo mas deve existir o perído ou idade em que os exames deverão acontecer com mais frequência para evitarmos esses problemas de doping.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *